César Castro - Transpirações Gráficas - Vermmer Além da Alma


21/10/2006


Escrito por césar castro às 23h17
[ ] [ envie esta mensagem ]

Escrito por césar castro às 23h11
[ ] [ envie esta mensagem ]

20/10/2006


Escrito por césar castro às 22h57
[ ] [ envie esta mensagem ]

Escrito por césar castro às 22h35
[ ] [ envie esta mensagem ]

Escrito por césar castro às 22h32
[ ] [ envie esta mensagem ]

19/10/2006


inconfidência mineira

velhos temas re/visitados e outros novos re/INventados

 

 

num tempo em que fui de minas

entre montanhas e rimas

entre os jardins e currais

forjado a ferro os canteiros

cecília e seu romanceiro

escorrem  seus dedos longos

nos versos tristes que inventa

como uma  outra cecília

sobre nomes também eu invento

 

 

diante do espelho linda e  nua

enquanto língua pele e  lua

pelo bico dos teus seios

saliva nos teus fluxos

como o cheiro dos teus flexos

quando despida em teu amor

o amor despido é  nosso sexo

cecília goza pelas  costas

e por todos  continentes

quando rio se encharca pelas frentes

quando mar transborda nas encostas

 

quando cravo as unhas rente

nos teus flancos  frente e verso

nos papéis o testamento

e seus dedos longos escorrem

em tristes outros pensamentos

e os re/versos de   cecília

no espelho também re/invento

 

artur gomes

http://arturgomes.zip.net

 

 

 

 

 

Escrito por césar castro às 17h41
[ ] [ envie esta mensagem ]

transpirar graficamente para César Castro, não é simplesmente re-visitar uma obra de arte e criar variações sobre o mesmo tema, como já fez com Mário de Andrade magnificamente na Viagem Gráfico Visual pela Selva de Macunaíma em 1993 e como faz agora com a obra de Joahnnes Vermmer e o transforma num Vermmer Além da Alma. transpirar para ele é fazer a fonte por onde bebeu respirAr por um universo contemporâneo e dar ao que era antes, apenas um fragmento uma arte final que pouco tem a ver com aquilo que o seu foco, a sua lente captou lá em uma arte esquecida pelo tempo e a faz pulsar pulsar pulsar em outro tempo como se o tempo fosse a sua própria arte em ebulição.

Artur Gomes

http://cesar48.blogspot.com

http://carnavalha.zip.net

 

Escrito por césar castro às 17h30
[ ] [ envie esta mensagem ]